Palestra adverte sobre males do cigarro eletrônico
22/11/2022 - 14:50

logo menor

Uma verdadeira epidemia. Inclusive – e sobretudo – entre os adolescentes. A análise é do médico Dráuzio
Varella sobre o disseminado uso do cigarro eletrônico. O Colégio Estadual do Paraná vem realizando
ações com o intuito de advertir sobre os males do consumo desse produto.


Uma dessas iniciativas foi uma palestra promovida em 14 de setembro último. Na ocasião, integrantes do
curso de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR) apontaram os danos causados por
cigarros eletrônicos.


Com o título “Mocinho, vilão ou pendrive?”, a palestra alertou para a aparência, falsa, de que o cigarro
eletrônico é menos prejudicial do que o cigarro convencional. Pelo contrário.


Como diversos especialistas e autoridades em saúde vêm ressaltando, além de nocivo, o cigarro eletrônico
tem o agravante de ter aspecto que pode induzir ao equívoco de se considerar algo com efeitos mais leves.
O cigarro eletrônico causa dependência intensa da nicotina. É prejudicial ao pulmão de quem fuma, e de
quem está perto.


Há outros nomes pelo qual é chamado, como vaporizadores ou vapes. Todos, porém, com a mesma
gravidade de efeitos.

Direção-Geral
Divisão Educacional