Escolinha de Arte

 

 

 

.

 

A Escolinha de Arte do CEP, em 2017, fez 60 anos de existência. Sem dúvida muita coisa mudou desde sua fundação em 06 de junho de 1957, quando teve como primeira diretora a professora Lennir Mehl.

 

 

 

 

Inicialmente com atividades complementares de contra-turno na área de artes visuais ofertava as modalidades de desenho, pintura e modelagem em argila. Novos cursos passaram a ser implementados e com a incorporação de grupos como a Banda Bento Mossurunga, o Gruta, o Coro do CEP e mais recentemente o Dancep, outras linguagens artísticas e espaços além da Escolinha de Arte foram gradativamente se incorporando ao setor.

Ainda, na década de 50, devido ao sucesso dos trabalhos desenvolvidos, a Escolinha de Arte passou a ministrar também as aulas curriculares de arte em suas salas ambiente orientadas por professores especialistas nas áreas e modalidades. Sendo assim, este setor vem cumprindo o seu papel principal pois mantém viva a sua essência de difundir a cultura e despertar nossos talentos de maneira acessível a toda a população de frequentadores, seja ela formada por alunos do CEP ou pessoas da comunidade.

 

 

 

 

 

 

 
Escolinha de Arte
 
 Tabela de Modulados

  

De 17.02.22 a 23.02.22 - Inscrições para alunos, funcionários e professores do CEP.

De 24.02.22 em diante - inscrições, vagas remanescentes, para comunidade em geral.

LINK PARA  TABELA DE HORÁRIOS

 
História da Escolinha de Arte
Logomarca da Escolinha de Arte

 

A Escolinha de Arte do CEP, em 2017, fez 60 anos de existência. Sem dúvida muita coisa mudou desde sua fundação em 06 de junho de 1957, quando teve como primeira diretora a professora Lennir Mehl.

Inicialmente com atividades complementares de contra-turno na área de artes visuais ofertava as modalidades de desenho, pintura e modelagem em argila. Novos cursos passaram a ser implementados e com a incorporação de grupos como a Banda Bento Mossurunga, o Gruta, o Coro do CEP e mais recentemente o Dancep, outras linguagens artísticas e espaços além da Escolinha de Arte foram gradativamente se incorporando ao setor.

Ainda, na década de 50, devido ao sucesso dos trabalhos desenvolvidos, a Escolinha de Arte passou a ministrar também as aulas curriculares de arte em suas salas ambiente orientadas por professores especialistas nas áreas e modalidades. Sendo assim, este setor vem cumprindo o seu papel principal pois mantém viva a sua essência de difundir a cultura e despertar nossos talentos de maneira acessível a toda a população de frequentadores, seja ela formada por alunos do CEP ou pessoas da comunidade.

 

 

 
Banda Sinfônica
Logomarca da Banda Sinfônica

Em meados de 1950, a partir da iniciativa de estudantes do Grêmio Estudantil, foram organizadas atividades festivas para arrecadar fundos para a compra de instrumentos de percussão, desde então nasceu o grupo denominado posteriormente com o nome de “Bandinha Rítmica do CEP” que segundo os registros históricos realizou sua primeira apresentação no dia 27 de junho de 1959.

Em 1961, o Maestro Professor Fernando Fernandes Alves (“Maestro Português”), assumiu o grupo e alterou o nome para Fanfarra do Colégio Estadual do Paraná. Em 1963 o conjunto passou a ser denominado Fanfarra Bento Mossurunga.

Em 1971, a Fanfarra do Colégio Estadual do Paraná foi renomeada Banda Marcial do Colégio Estadual do Paraná, nome que manteve até 1985. A partir de então foram adquiridos novos instrumentos de palhetas (clarinetes e saxofones) e a Banda Marcial foi transformada em Banda Musical do Colégio Estadual do Paraná, recebendo a denominação “Bento Mossurunga”, em homenagem ao famoso compositor, músico e professor do Paraná.

No ano de 2008, com o incentivo da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, a Banda Musical Bento Mossurunga passa a ser Banda Sinfônica com um novo projeto de estruturação do trabalho, contando com instrumentos como Clarinete, Bass (Clarone), Trompas, Tubas, Tumbadoras, Bombo Sinfônico e Tímpanos, além dos instrumentos de sopro de Banda Musical.

Além do ensino regular de teoria musical, prática instrumental e ensaios gerais, as apresentações fazem parte integral na formação musical dos estudantes. A corporação apresenta-se nas diversas atividades do CEP e atende convites em Curitiba e Região Metropolitana. Desfila tradicionalmente no Centro Cívico, todo ano, em comemoração ao dia Sete de Setembro, abrindo o desfile das Escolas da Rede Pública de Ensino. Sua participação nos concursos e campeonatos é outra forma de incentivo e avaliação do desenvolvimento musical dos jovens músicos.

Apresentação da Banda Sinfônica

 

Em 2019, a Banda Sinfônica Bento Mossurunga completará 60 anos e por conta disso o Maestro Alessandro Gomes está trabalhando, com os cerca de 60 estudantes, em um novo repertório que envolve clássicos do cinema destacando a trilha sonora do filme E.T., Star Wars, Tubarão, Jurassic Park, Senhor dos Anéis, Rei Leão e outros. Destaque também para o estudo do compositor norte-americano Leroy Anderson (A máquina de escrever, relógio sincopado, solo para a lixa de papel).

 

 

Referências:

SCHAFFER , MARGARETE. Histórico da Banda Sinfônica Bento Mossurunga. Curitiba, 2018, no prelo.
PARANÁ. Colégio Estadual do Paraná. Projeto Político Pedagógico, Curitiba, 2017.

 
DANCEP

 

INSCRIÇÕES DANCEP

Informamos que as inscrições do DANCEP poderão ser feitas pelo site www.dancep.com.br

Ressaltamos que as aulas de dança do Dancep - Grupo de Dança do Colégio Estadual do Paraná, ocorrem durante todo ano letivo (março/dezembro).
São abertas para estudantes das escolas públicos estaduais e municipais, assim como a comunidade em geral. Não há pré-requisito, ou seja, não precisa saber dançar, basta ter vontade de se expressar através do corpo!

 

 

GRUPO DE DANÇA CONTEMPORÂNEA DO COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ

Coordenação: Eder Fernando Nascimento Decreto: 4987/2021
Telefone: 41 3234 5608
E-mail: contato@dancep.com.br

SITE

 
Gruta - Grupo de Teatro Amador do Colégio Estadual do Paraná
Logomarca do Gruta

Ary Fontoura, Beto Bruel, Denise Stoklos, Fatima Ortiz, Herson Capri, Leonardo Miggiorin, Leticia Sabatella, Luís Melo, Marjorie Estiano, Odelair Rodrigues, Paulo Leminski, Ranieri Gonzáles, Regina Bastos... São alguns dos nomes de nosso Teatro, TV e Cinema que passaram pelas salas de aula, Escolinha de Arte, palco do Auditório Bento Mossurunga, pelo GRUTA (Grupo de Teatro Amador do Colégio Estadual do Paraná) e pelos Cursos Técnicos de formação de Ator.

O nome GRUTA, no entanto, não recebeu a alcunha tão cedo, eis um pouco da história:

1952 - O professor Norberto Teixeira criou o CCCEP (Corpo Cênico do Colégio Estadual do Paraná). A primeira montagem, o texto de Paulo Trevisan, “O Filho Pródigo”.

1959 - Silvio Jair Kormann criou o Teatro Experimental do Colégio Estadual do Paraná. Na estréia, com texto de Coelho Neto, “Ironia”. No elenco, entre tantos, Paulo Leminski.

1963 - Outro grupo formado, TGCEP (Teatro Grego do Colégio Estadual do Paraná) pelas mãos da professora Maria Lambros Comninos. No repertório, clássicos gregos como Édipo e Antígona, de Sófocles, além de Hipólito e As troianas, de Eurípedes (A língua grega fazia parte do currículo na época).

1966 - O diretor Geral, professor Ernani Straub, a pedido de alunos e ex-alunos, muitos oriundo do TGCEP, convocou o experiente ator Telmo Faria (primeiro ator profissional de nosso estado) para tomar a criação e direção artística do GRUTA (Grupo de Teatro Amador do Colégio Estadual do Paraná). Convidou o dentista e amante da arte, Aluízio Cherobim. A parceira gerou “O Julgamento de Joana”, de Eddy Franciosi e “A Moratória”, de Jorge Andrade. A verve de levar à cena uma dramaturgia eclética nascia nesta casa.

1980 - Surge o Curso Técnico de Teatro e Ator, esforço de Aluízio e Luciana Cherobim. Agora, o teatro no CEP passava a ser profissionalizante. A parte Amadora não deixou de existir, mas a opção de ser efetivamente um profissional das artes cênicas possuía um ninho seguro. Assim foi até o início dos anos 2000 com a última turma. O curso até então, fora levado pelos competentes professores Armando Maranhão, Luís Afonso Burigo e Guaraci Martins. A cena final foi em 2003, deixando grave laguna. O teatro no CEP sobrevivia heroicamente pelas produções do GRUTA.

2009 - O resgate dos cursos técnicos veio pela então diretora Maria Madselva e coube à professora Raquel Júlio Mastey, o ingresso dos novos cursos técnicos em teatro no CEP. Deste então, formando atores, atrizes e platéia regularmente.

Apresentação do Grupo
Apresentação do Grupo
Apresentação do grupo

GRUTA - Persistente devido a demanda, cada vez maior e sempre fiel aos ideais da Escolinha de Arte, teve à frente de produções e direções, além de Telmo Faria, Aluízio Cherobim, Luís Afonso Burigo, Armando Maranhão, Denize Bruno, Guaraci da Silva Lopes Martins, Raquel Júlio Mastey, Lau Bark, Tina de Souza e Adriana de Cristo.

O Teatro Experimental e a Pesquisa Teatral são ramificações do ensino do teatro amador presentes no CEP, os professores Hermison Nogueira e André Meirelles abrem o leque para outros interessados em teatro. Seja pela originalidade de forma e conteúdo ou pelo aprofundamento da arte cênica.

GRUTA, GRUTA Pós AD e GRUTINHA. Professor Lau Bark se encarrega hoje de duas turmas de adolescentes (a partir de 15 anos) iniciantes na arte teatral. O Pós AD é integrado por alunos que se formaram nos curso Técnico Integrado e Subsequente em Teatro. Originando obras com elencos reduzidos e textos inéditos ou adaptados de outras linguagens. A professora Adriana de Cristo, com o GRUTINHA (alunos com até 14 anos de idade), carrega para a cena pupilos do ensino fundamental.

Apresentação do Gruta
Apresentação do Gruta

 

 

O Teatro, seja profissionalizante ou amador, tem no Colégio Estadual do Paraná forte tradição, colaborando assim para o fortalecimento da cultura em nossa cidade, estado e nação.

Venha fazer teatro com a gente!