Estudante do CEP passa em universidade na Holanda
12/05/2022 - 13:04

 

.

Estudante passa em universidade na Holanda e enaltece aprendizado no CEP
ISABELA SALMORIA DE FIGUEIREDO VAI ESTUDAR EM HAIA

----
A estudante Isabela Salmoria de Figueiredo entrou em contato recentemente com o Colégio Estadual do
Paraná para compartilhar uma conquista: foi admitida na The Hague University of Applied Sciences
(conhecida pelo acrônimo THUAS), em Haia, Holanda, para cursar Administração Internacional.
Feito para o qual ela faz questão de enaltecer o aprendizado obtido no CEP, e agradecer a professores e
equipe do colégio que fizeram parte dessa trajetória.


“Comecei a estudar no CEP no ‘terceirão e apaixonei!”, exclama ela, que concluiu o ensino médio em
2021. “Mesmo com a pandemia e aulas online, eu tive a melhor turma da vida!”, relembra.
A vida de estudante no CEP incluiu o exercício da função de representante de turma, experiência que
Isabela também destaca como fundamental. “Me tornei uma das representantes de classe e ali pude
exercer e aprender muito sobre liderança”, assinala.


O Setor de Comunicação fez uma entrevista com Isabela, que está se preparando para a mudança – vai
começar as aulas na Holanda em setembro. O curso tem quatro anos de duração. “Estou muito ansiosa
para o embarque, pensando nas malas, despedida da família e amigos, como será a adaptação no país das
bicicletas, além de imaginar como será estudar e ver a neve no inverno, um sonho!”.


Isabela pontua também a inspiração que veio de sua mãe, Franciele Salmoria.


Confira a entrevista:


CEP | Você foi admitida para a instituição THUAS, certo? Quando você se inscreveu, o que te levou
a participar do processo e como foi esse processo de seleção?


ISABELA | Sim, fui admitida na THUAS (The Hague University of Applied Sciences) em Haia, na
Holanda. Eu estava à procura de realizar meu ensino superior fora do país, realizando pesquisas por
diversas instituições ao redor do mundo e a Holanda foi a que mais me chamou atenção, não apenas pela
qualidade de vida, mas também por ser única e diferente em suas universidades. Para o processo seletivo,
passei mais de um ano me preparando - ou melhor, os últimos três. Eles avaliam as notas de seu ensino
médio, que tem que estar bem acima da média, além de ter que realizar alguns testes, como o de
proficiência em inglês (Toefl) e o Enem. Nisso, me esforcei muito para conseguir, e finalmente deu certo!


CEP | Era um objetivo, uma meta, um sonho estudar fora, ou aconteceu meio que por acaso - ou
seja, as coisas se encaminharam pra isso?


ISABELA | Desde pequena era um sonho, que com o passar dos anos se tornou uma meta pessoal.
Quando era menor tive a oportunidade de ser alfabetizada em inglês, consegui diversas bolsas de estudos
em instituições privadas para o desenvolvimento acadêmico e com isso minha vontade de ir pra fora só
aumentava. Uma das pessoas que sempre me incentivou foi minha mãe, Franciele Salmoria, que com seu
exemplo de mulher me ensinou mesmo durante seus anos em que teve câncer que o estudo e o esforço
eram minha maior ferramenta para crescer no mundo. Quando chegou o ensino médio procurei, além de
estudar pra escola, ver como eu poderia entrar numa boa universidade fora e aí conheci o mundo dos
“Applications” (processos seletivos). Na internet mesmo aprendi como que funcionava, quais documentos
como cartas de motivação e de recomendação [são necessários].


CEP | Como foi sua trajetória no CEP?


ISABELA | Comecei a estudar no CEP no terceirão e me apaixonei! Mesmo com a pandemia e aulas
online eu tive a melhor turma da vida! Me tornei uma das representantes de classe e ali pude exercer e aprender muito sobre liderança.

Realizava apenas as aulas regulares, pois o resto do tempo me dedicava
ao estudo para outras línguas como o inglês, coreano e espanhol.


CEP | Dessa trajetória, o que você considera que foi mais decisivo pra essa aprovação?


ISABELA | Eu acredito que os professores me incentivaram muito, nunca me esqueço como minha
Professora de Inglês, Patrícia, me ajudou e me deu motivação para continuar quando ela comentava sobre
a sua experiência na Inglaterra e na Alemanha. Já o professor de Biologia, Sandro, me ajudou muito com
minha dificuldade na matéria, e torceu muito por mim nesse processo. Não posso deixar de mencionar
meu pedagogo, Alex, e o secretário Paulo, que estiveram a par de tudo e me auxiliaram com toda a
documentação necessária. No CEP encontrei as melhores pessoas, essas que eu vou levar pra vida, não
importa onde esteja!


CEP | Fique à vontade pra fazer algum comentário a mais que achar interessante: 


ISABELA | O que mais percebi nesse processo é como tem gente muito inteligente e capacitada que não
sabe das oportunidades de bolsa de estudos para estudar fora do Brasil. Eu espero que a partir do meu
exemplo jovens sonhadores possam ver que não é impossível entrar numa universidade ou em um curso lá
fora. Minha maior vontade é de inspirar as pessoas e ajudá-las a conseguirem atingir seus objetivos. Por
isso escolhi Administração Internacional, em que, sem barreiras de línguas ou culturas, eu possa fazer a
diferença positivamente, nem que seja pequena, com minha comunicação na vida de cada um. Além
disso, me coloco a disposição para realizar um aconselhamento/trabalho voluntário, e se necessário, ser
embaixadora da causa para com o Colégio Estadual do Paraná. Muito obrigada pela oportunidade de
poder contar um pouco da minha história!

 

Direção Geral

CEPCOM