ESCOLINHA DE ARTE: Confira a Mostra Virtual 2020 - Sala Rio Branco
15/12/2020 - 15:53

APRESENTAÇÃO

No ano de 2019 uma grande reforma no Colégio Estadual do Paraná contemplava também em seu projeto mudanças no espaço da histórica Escolinha de Arte. Localizada no subsolo da ala par desde a sua fundação, em 1957, esta já havia sofrido algumas mudanças estruturais. Ao longo de seis décadas ganhou novos espaços no subsolo, criação de salas, redistribuição e otimização do espaço, porém nada comparado ao atual momento com a retirada total de seu acervo e mobiliário.

            A maioria das salas ambiente são de Artes Visuais e os professores desta área do conhecimento artístico justamente por trabalharem com material palpável como papéis, lápis, tintas, telas, argila, etc. se empenharam numa grande tarefa de encaixotar e identificar todo material de uso específico para que se tivesse, no futuro, acesso aos mesmos para a realização de suas aulas pois ainda não se sabia onde poderiam continuar a ministrá-las. Assim como os materiais todo o acervo visual, tais como desenhos, pinturas, gravuras e esculturas também foram devidamente separados e embalados.

            Os professores concluíram o ano letivo sem saber onde abririam suas caixas e reiniciariam suas atividades pedagógicas. A expectativa ultrapassou o ano e somente em 2020 receberam a grata notícia de que grande parte da Escolinha de Arte CEP seria acolhida pelo Colégio Estadual Rio Branco. Assim no início do ano letivo os educadores foram apresentados ao seu novo espaço de trabalho. Uma grande sala repleta de caixas e móveis que aos poucos, dia a dia, com organização, foi se transformando numa mini Escolinha de Arte destinando pequenos espaços para propiciar a realização de cada modalidade de Modulado.

            Infelizmente ao final de março as aulas foram interrompidas por causa da epidemia do Coronavírus. Isolados cada qual em sua casa, educadores e estudantes passaram por uma difícil adaptação. Como fazer aulas a distância, de forma virtual sem o apoio da sala ambiente que proporcionava todo o amparo material e meios para conduzir uma produção de qualidade dos nossos alunos? Não se queria apenas repassar conteúdo ou propor tarefas, mas realmente estar ao lado acompanhando individualmente o crescimento de cada educando. Não se tratava apenas de “reinventar” como a mídia tanto comentou, porém estava mais para um “fazer inventivo”, expressão usada por Luigi Pareyson, que significa “criar algo novo e também inventar o modo de fazer enquanto se cria". Tentativas com erros e acertos em busca do melhor meio tecnológico e o melhor método de comunicação para atingir e conquistar a segurança de uma aula significativa e produtiva fizeram parte do cotidiano no início da pandemia.

            Educandos e educadores em vários momentos inverteram seus papéis, já que os primeiros estavam muito mais familiarizados com os recursos virtuais do que os segundos. Esta troca foi importante e novos vínculos se estabeleceram. No decorrer do processo percebeu-se que o resultado dos trabalhos dos estudantes estava correspondendo às expectativas surgindo então a ideia de expô-los. Novas pesquisas na busca de um formato adequado de exposição virtual se desencadearam e finalmente a exposição foi surgindo.

            Ao se pensar no nome dessa mostra de imediato surgiu a proposta de homenagear o colégio onde se iniciou este ano letivo, porque o Colégio Estadual Rio Branco além de ceder um espaço físico acolheu com respeito e cordialidade todos os integrantes da Escolinha de Arte do CEP, além disso o grupo de professoras organizadoras dessa exposição, por conta dos horários e compartilhamento da sala ficaram mais próximas desde então, possibilitando um canal de comunicação para também a distância poderem se encontrar e dar sugestões que contribuíram para a realização deste evento.

Enfim chegou-se a este resultado que não se encerra como um produto final mas aponta um novo caminho. Este ano de 2020 ficará marcado na história da Escolinha de Arte CEP e todos, estudantes e professores, seguirão modificados. O importante é o exemplo que este grupo traz de que quando se está aberto e empenhado no propósito de ensinar a evolução acontece. Formas anteriormente impensáveis para as aulas de Arte hoje se fazem presente e certamente estas práticas permanecerão presentes, mesmo no pós Covid, sendo absorvidas e incorporadas ao conjunto de metodologias do Ensino da Arte.

 

Lorene De George

 

ACESSE: Mostra VIRTUAL 2020 - SALA RIO BRANCO

Para melhor visualização, recomenda-se abrir o link pelo computador.

 

Realização:

Professora Andréa Cedor Schultz: Modulado de Desenho Mangá

Professora Kátia Leilane Grisbach: Modulado de Decalque em Cerâmica e Porcelana e Modulado em Origami

Professora Rosângela de Camargo Canetti: Modulado de Mosaico

Últimas Notícias