Língua Portuguesa - Ensino Médio

 

Os estudos, reflexões e debates sobre avaliação têm sido uma prática constante em nosso grupo. Novas leituras, novas reflexões têm gerado novas práticas ainda que lentamente. Afirma Paulo Freire: "a prática de pensar a prática, é a melhor maneira de pensar certo". O problema é que para isso precisamos de tempo para elaborar as leituras e rever estas práticas. Marx lembra que "o tempo é fator de desenvolvimento humano" e talvez seja justamente a falta de tempo que faz com que o desenvolvimento humano seja sempre retardado, demorado, difícil e com tantas resistências. Entre tantas outras razões que não nos cabe referir aqui, mas que devem ser pauta das nossas discussões e estudos.
 

A avaliação tem se concretizado com as seguintes atividades:

- Provas escritas
- Avaliações orais - seminários e declamação de poesia
- Produção de textos: narrativos, dissertativos e poéticos
- Diagnóstico para retomada dos conteúdos não apreendidos
- Avaliação das leituras das obras literárias em seminários (individual e em grupo), trabalhos e provas escritas. Dramatizações, resenhas, reescritas, literatura comparada etc.
 
Metodologia
- O trabalho é desenvolvido a partir das seguintes metodologias:
- Discussão em classe a partir dos conteúdos;
- Debates em grupo;
- Leituras e trabalho em grupo;
- Aulas expositivas e expositivo-dialogadas;
- Trabalhos individuais e apresentação de seminários;
- Contextualização dos conteúdos trabalhados;
- Leituras de textos críticos sobre a realidade social - análise e interpretação; leitura crítica da realidade sócio-histórica para produção de textos dissertativos.

- Atividades no Laborátorio de Informática;

- Oficinas de Literatura: Obras Literárias solicitadas UFPR.

 

Projetos

Sedução da Linguagem Poética 2016

- Concurso de Declamação
- Varal de Poesia – poema de autoria e leitura plástica;
- Publicação de livro de poemas dos/as alunos/as autores/as.

 

Proposta Curricular da disciplina de Língua Portuguesa

Pressupostos teórico-metodológicos
O ensino de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira leva em consideração o fato de que a democratização desse saber só se realiza quando os/as alunos/as são capazes de interagir com o texto escrito e oral em seus diversos níveis de complexidade. Quando são capazes de ler nas linhas e entrelinhas, de captar as subjetividades presentes nos textos, perceber o ponto de vista e a presença da ideologia e da intencionalidade do/a autor/a. Compreender que uma vez que pode "estar sujeita às circunstâncias do momento, às instabilidades psicológicas, às flutuações de sentido, a língua em grande medida é opaca, não é transparente. Isso faz da prática da interpretação uma atividade fundamental da vida humana, da interação social" (BAGNO, 2003: 19). Ensinar Língua Portuguesa para os falantes dessa língua, numa perspectiva sócio-interacionista, exige abordar as variações linguísticas que caracterizam a linguagem na manifestação verbal dos diferentes grupos sociais dos falantes. Realizado dessa forma, possibilita a organização estrutural da linguagem verbal sem que a gramática normativa seja o centro das atividades de ensino-aprendizagem.

Objetivos gerais da disciplina
· Garantir ao/à aluno/a do Ensino Médio um domínio ainda maior das práticas socioverbais, com uma elaboração condizente com seu nível de ensino;
· Capacitar cada vez mais o/a aluno/a a perceber nos diferentes textos as diferentes visões de mundo bem como os interesses que eles carregam, ou seja, a não neutralidade de todo texto;
· Trabalhar no ensino de Língua Portuguesa referindo o caráter social da língua que se realiza na interação verbal e social dos/as interlocutores/as;
· Compreender as variações da linguagem como fenômeno social e refletir as diferentes formas de manifestação do preconceito linguístico como uma forma de preconceito social em que, segundo BAGNO, "a noção de erro varia e flutua de acordo com quem usa e contra quem";
· Desenvolver as atividades de produção e compreensão de textos como extensão da tarefa de leitura e compreensão do mundo em que vivemos, com a consequente produção de reflexões sobre o mundo vivido em textos crítico-reflexivos.
· Desenvolver, despertar, incentivar, promover no/a aluno/a o prazer da leitura das obras literárias como produtos da experiência da humanidade, como relatos do nosso processo civilizatório tanto quanto nosso cotidiano. A leitura das obras de ficção deverá levar o/a aluno a compreender que estes são relatos da vida e que a história de todos e de cada um estão ali expressas. 

 

COORDENADORAS: Camila Marcelina Pasqual e Ilcea Domingues Pereira

Telefone: 3234-5640

Recomendar esta página via e-mail: