Notícias

03/07/2019

Do Alto da XV, equipe de Ciências Espaciais acompanha o eclipse solar

A equipe de estudantes e professores membros do Clube de Ciências Espaciais do Colégio Estadual do Paraná (CEP) foram, nesta terça-feira (2), ao bairro Alto da XV, em Curitiba, para acompanhar e registrar o Eclipse do Sol, um fenômeno raro que só poderá ser visto novamente, da capital paranaense, em 2045. Com equipamentos especiais, o grupo do CEP, acompanhado dos professores astrônomos, registrou o momento em que a lua encobriu parte do sol (cerca de 35%) por alguns minutos.

O fenômeno teve início por volta das 17h01 (horário de Brasília), e durante o espetáculo da natureza os estudantes, e curiosos que estavam no local, receberam orientações e instruções do astrônomo José Manoel Luís da Silva, que é professor, diretor e fundador do Observatório Astronômico e Planetário do CEP. “Este fenômeno astronômico só acontece quando a lua nova atravessa a faixa da órbita da Terra, alinhando-se com o nosso planeta e projetando a sua sombra sobre algumas regiões”, explicou.

O astrônomo ainda contou que as pessoas que estiverem na zona de cobertura total do sol (eclipse total) vão perceber o dia como se fosse a noite. “Será um momento especial para quem estiver nas áreas em que a lua cobrirá totalmente a circunferência do sol, o que possibilita a quem estiver nestas áreas ver inclusive as estrelas no céu durante o fenômeno”, garantiu o professor. “Aqui será parcial. O eclipse solar de hoje só será total em algumas cidades do Chile e Argentina”, acrescentou.

Ciências Espaciais – Os estudantes membros do Clube de Ciências Espaciais do CEP levaram para o local um aparelho telescópio, que foi devidamente armado e montado com filtros especiais. “A observação direta deve seguir normas de segurança, sempre com utilização de filtros ou com pelo uso de óculos com lentes protegidas”, disse o professor Paulo Lagos, que também é astrônomo.

A equipe também aproveitou para realizar a observação indireta do fenômeno. Para isso, instalaram grandes anteparos para projetar a luz do sol e, dessa forma, evidenciar o acontecimento de forma ampliada na tela. Com os aparelhos celulares acoplados aos filtros de proteção, os estudantes registraram em fotografias e vídeos os momentos em que a lua cobria parte do disco luminoso do sol.

Confira abaixo algumas fotos!

***

Fonte: Zac Lucatelli - Assessoria de Imprensa

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.